Em um cenário no qual a pandemia do novo coronavírus se tornou parte da rotina, pesquisadores do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB) vão analisar os impactos deste período na saúde mental dos residentes que trabalham na linha de frente do combate à Covid-19. A ideia do estudo, segundo os pesquisadores, é entender se essas pessoas apresentam sinais de esgotamento profissional ou doenças mentais, como ansiedade, estresse, problemas do sono e depressão. Podem participar do estudo profissionais da saúde que estejam cursando pós-graduação em regime de residência. A pesquisa está sendo realizada por meio de um questionário online, até 29 de agosto. De acordo com os organizadores, a expectativa é que mais de mil pessoas participem do projeto.

Investigação

Segundo o médico Cleandro Pires – um dos idealizadores da pesquisa – o tema para o estudo surgiu após os pesquisadores observarem, na prática, o alto grau de estresse que os residentes enfrentam no dia a dia. Ele afirma que também percebeu a publicação de muitos artigos científicos que falam sobre uma possível epidemia de doenças mentais entre os profissionais de saúde durante a pandemia Covid-19 e no pós-pandemia.

Etapas da pesquisa

A enfermeira Rebeca da Nóbrega, uma das pesquisadoras, explica que o estudo passará por etapas de coleta de dados e análise até chegar ao resultado final. Os dados iniciais serão analisados e permitirão identificar pessoas que apresentam algum sinal de esgotamento profissional, bem como estimar a ocorrência de doenças mentais entre esses profissionais. Já quem não apresentar indícios de esgotamento profissional, neste primeiro momento, receberá um novo questionário após 12 semanas, para reavaliação. O segundo formulário vai permitir estimar a incidência de casos novos, assim como identificar fatores de risco para o desenvolvimento da síndrome. Finalizadas as coletas, as informações globais serão avaliadas pelos pesquisadores e publicadas em revistas científicas. Os dados produzidos pela pesquisa auxiliarão no planejamento de medidas de suporte e na atenção à saúde mental dos profissionais de saúde residentes, em todo o país. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (UnB) e conta com o apoio da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

FONTE: GLOBO.COM – DISTRITO FEDERAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *