Alguns problemas alimentares são de natureza comportamental. Os pais de crianças pequenas com frequência se preocupam achando que seus filhos são enjoados para comer, não estão comendo o suficiente ou estão comendo demais, comendo os alimentos errados, recusando-se a comer certos alimentos ou comportando-se de maneira imprópria ao comer (dando comida a um animal doméstico, jogando a comida fora ou a deixando cair intencionalmente).

A maior parte dos problemas alimentares não dura o suficiente para interferir com o crescimento e o desenvolvimento de uma criança. Gráficos de crescimento podem ajudar os pais a determinar se o crescimento dos seus filhos é motivo de preocupação. Os pais devem consultar um médico se seus filhos:

* Transtornos alimentares como, anorexia nervosa e bulimia nervosa, normalmente não ocorrem antes da adolescência.

Alimentação insuficiente

Uma redução do apetite, causada por uma desaceleração da taxa de crescimento, é comum entre crianças com cerca de um ano de idade. Contudo, um problema alimentar pode se desenvolver caso um dos pais ou um cuidador tente forçar a criança a comer ou demonstre preocupação demais sobre o apetite ou os hábitos alimentares da criança.

A atenção extra que uma criança com problemas alimentares recebe quando os pais tentam fazer com que ela coma de maneira lisonjeira ou ameaçadora podem inadvertidamente recompensar e assim reforçar a tendência da criança de se recusar a comer. Algumas crianças podem até mesmo vomitar como resposta a tentativas dos pais de forçá-las a comer.

A redução da tensão e das emoções negativas na hora das refeições pode ser útil. Cenas dramáticas podem ser evitadas colocando-se a comida na frente da criança e retirando-a 20 ou 30 minutos mais tarde sem comentários. A criança deve poder comer o que quiser daquilo que é oferecido durante nas refeições e nos lanches da manhã e da tarde. Alimentos e líquidos diferentes da água devem ser restringidos fora das horas de refeição.

Às crianças pequenas devem ser fornecidas três refeições e dois ou três lanches por dia. As refeições devem ser programadas em horários nos quais os outros membros da família estão comendo. Distrações, como televisão e animais domésticos, devem ser evitadas. Sentar-se à mesa deve ser encorajado. As crianças devem participar da limpeza da comida que for jogada intencionalmente no chão. O uso dessas técnicas equilibra o apetite da criança, a quantidade de alimento comida e as necessidades nutricionais.

Comer demais

Comer demais é outro problema causado por muitos fatores. Comer demais pode dar origem à obesidade infantil. Depois que as células adiposas se formam, elas não vão embora. Assim, crianças obesas são mais propensas do que crianças de peso normal a se tornar adultos obesos. Uma vez que a obesidade infantil pode causar a obesidade adulta, ela deve ser prevenida ou tratada.

Fonte: msdmanuals.com – por: Stephen Brian Sulkes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *