Após um ano marcado pela maior crise sanitária do século, vimos crescer consideravelmente a procura por soluções completas para suprir não só o cuidado com a saúde física, mas, principalmente, com a mental e a emocional. No entanto, infelizmente, falar sobre saúde mental ainda é um tabu, especialmente no ambiente corporativo que, muitas vezes, é marcado por pressões, estresse, sobrecarga e insegurança.

O isolamento social, acompanhado das incertezas econômicas, trouxeram diversos impactos negativos nesse sentido. Uma pesquisa do International Stress Management Association revelou que nove em cada dez brasileiros no mercado de trabalho apresentaram sintomas de ansiedade e 47% deles tiveram sinais de depressão em algum nível.

Apesar do aumento expressivo, poucas são as empresas que, de fato, estão proporcionando soluções para que seus colaboradores consigam cuidar da saúde mental. Segundo pesquisa conduzida pela Propeller Insights, no ano passado, 57,5% dos empregadores não oferecem nenhum benefício do tipo. Tal descuido é responsável por gerar diversos problemas para as próprias empresas.

Entre os principais agravantes estão a diminuição da capacidade de atenção e concentração, a sensação de inutilidade, a desmotivação, a diminuição do prazer e do ânimo para atividades cotidianas, a perda da capacidade de planejar o futuro e a redução do rendimento e a baixa produtividade.

Fonte: Veja Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *