Durante a tarde de ontem (28), o Parlamento aprovou a renovação para o décimo “Estado de Emergência” em Portugal. Apesar da grande maioria votar a favor da declaração, que fica em vigor entre 31 de Janeiro e 14 de Fevereiro, cada vez mais críticas são direcionadas ao Governo.

Após abster-se anteriormente, o PAN desta vez foi a favor, no entanto André Silva, porta-voz do partido, aproveitou a oportunidade para apontar o dedo ao Governo. Apesar de afirmar que não há alternativa ao estado de emergência na atual situação que a pandemia chegou, André Silva criticou a falta de recursos humanos, alertou para a necessidade dos apoios chegarem à economia e defendeu que a saúde mental deve ser uma “aposta” das respostas dos serviços de saúde. Em seu discurso, André Silva também recordou que há quase três anos que está para ser fechada a contratação de 40 psicólogos no SNS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *